18 fevereiro 2007

FEIOS E MAUS, APENAS.

De vez em quando a comunidade científica decide obsequiar-nos com os mais disparatados estudos. Todos nós, em qualquer ocasião, já tomamos conhecimento de estudos que, além de servirem para nos atazanar a cabeça e delapidar o erário público, não servem para mais nada. Não é o caso de um estudo que a insuspeita revista Science publicou recentemente. Se é verdade que as conclusões não serão de molde a tornar o mundo melhor – acho eu –, servirão, pelo menos, para trazer um pouco de justiça à eterna disputa sexo forte vs sexo fraco. Até agora o meu era o lado dos feios porcos e maus. A partir das conclusões deste estudo, que todos nós, de resto, já suspeitávamos, passaremos a ser, tão só, feios e maus.
O estudo, patrocinado pelo professor de Ciências Ambientais da Universidade do Arizona, Charles Gerba, revela que as mulheres acumulam três ou quatro vezes mais germes do que os homens nas suas secretárias, telefones, computadores, teclados, gavetas e objectos pessoais, havendo, regra geral, 400 vezes mais bactérias nas mesas de trabalho do que nos sanitários dos escritórios. O Dr. Gerba diz ainda que os alimentos são a principal fonte de bactérias, assumindo este facto um nível preocupante, já que 75% das mulheres têm algo para debicar nos seus escritórios. "Estava convencido de que os homens gerariam mais germes, mas as mulheres [...] guardam comida nas suas mesas, problema a que se acrescenta a maquilhagem", afirmou o autor do estudo. Nas gavetas, e demais escaninhos dos escritórios, as mulheres armazenam guloseimas, cosméticos e outros produtos, comestíveis ou não, que constituem um agente de primeira grandeza para originar ninhos de germes.
O estudo concluiu que, no caso dos homens, os maiores focos de germes são as carteiras e as agendas electrónicas. No caso das primeiras, se forem guardadas no bolso de trás das calças, os germes estarão no seu elemento natural já que lhes é proporcionado um lugar morno e cómodo(1) para se desenvolverem.

(1) imagino o caldinho bacteriológico presente na carteira de um certo declamador de poesia da nossa praça.

4 comentários:

citadinokane disse...

Mas, continuo achando essas porquinhas o máximo... ahahaha...
Abraços,
Pedro

olho_azul disse...

O lado positivo deste tipo de estudos é que ao menos o pessoal diverte-se - Como pode haver gente que se dedica a estes estudos?!
Um abraço vizinho

Marina disse...

Maquilhagem, nao uso mas comida... ui...

Eu já achava que o meu portátil andava a ficar mais pesado!
Deve ser das migalhas (sim, eu sei que e um pessimo vicio mas...) e das toneladas de bacterias que estao a habitar ca dentro!
loooooooooooooooool

So agora venho retribuir a visita la ao meu sitio.
Ate breve!

Beijitos

Tozé Franco disse...

Também já desconfiava que na minha carteira havia mais germes que dinheiro, especialmente a partir do dia 15 de cada mês.
Aliás, ao contrário de algumas pessoas a quem sobre dinheiro no fim do mês, a mim sobra-me mês no fim do ordenado! Quantos aos germes é coisa que não falta por aí...