03 setembro 2006

DOS 18 AOS 45, MAS...

Ainda este ano, os casais, que por problemas de infertilidade se viam na necessidade de recorrer a clínicas espanholas para tentar solucionar o seu problema, vão poder fazê-lo em Portugal.
O Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS), da Universidade do Porto, está a criar o primeiro banco de esperma e óvulos do país. Falando sobre este assunto, Mário Sousa, investigador do ICBAS, realçou que “todos os dadores candidatos serão sujeitos a rigorosos exames de selecção, quer a nível da história clínica pessoal e familiar, quer de análises ao sangue, antes de serem seleccionados par a integrar o banco”. Já a partir de 15 de Setembro começarão as entrevistas a mulheres, potenciais dadoras de óvulos, sendo que as entrevistas aos homens, potenciais dadores de esperma, se iniciarão mais lá para o Outono.
O banco excluirá os voluntários com hábitos tabágicos, alcoólicos ou de toxicodependência ou que tenham contraído vírus como as hepatites B ou C ou o HIV. Os óvulos serão recolhidos em mulheres com idades compreendidas entre os 18 e os 35 anos.
Até aqui tudo bem! Temos que assegurar a qualidade do material genético. Nunca se sabe se o substituto do Engenheiro Sócrates não sairá dali.
O Inverno da notícia vem a seguir: os dadores deverão ter entre 18 e 45 anos! Quem, como eu, estava a pensar doar a sua semente para a posteridade, foi fulminado com esta frase, mesmo que respondendo a todos os outros predicados.
Apenas nos resta agarrarmo-nos a uma pequena nuance de linguagem: quando o Doutor Mário Sousa se referiu às margens de idades dos dadores disse, laconicamente, que estas eram apenas indicativas, não exclusivas, dependendo de cada caso analisado.

5 comentários:

Tozé Franco disse...

Com estas idades já tenho menos de um ano para me voluntariar...

Xico Rocha disse...

Amigo Carlos Pontes fico feliz pelo progresso da ciência em teu país.
Amigo li a matéria que me indicastes, deixei um comentário no meu blog, passa lá.
Um abraço fraterno deste amigo do outro lado do mar.
Xico Rocha

Anónimo disse...

Se analisares a notícia com algum distanciamento, facilmente reconhecerás que as dadoras terão mais motivos para se indignarem.
Mas eu compreendo o desabafo; já dizia Desmond Morris que o objectivo primordial do género masculino é disseminar o seu material genético! Fraquezas...

Helena Guerreiro

Carlos Ponte disse...

Talvez tenhas razão Helena!
Embora o senhor Morris diga, por vezes, umas macacadas incompreensíveis, fruto , talvez, da sua mania de acompanhar com elementos pouco recomendáveis, acho que, distanciando-me, talvez tenhas razão.
A propósito citaria, não um senhor propenso para as zoologias mas um outro mais atreito à geografia (geografia feminina, neste caso). No seu admirável "conos", vendo afastar-se um grupo de formosas meninas, Juan Manuel de Prada diz a certo ponto: "e eu vejo-as partir, subitamente entristecido, com presságios de próstata e cálculos renais".
Sábias palavras estas do Prada...
Um beijo,
Carlos Ponte

Anónimo disse...

Tomates! Muitos tomates! É o que me ocorre aconselhar ao tal Juan Prada; é que se a próstata dele o inquieta - ou será a antevisão da mais que inevitável…aah…dedada? - a ciência, já há algum tempo, demonstrou que o fruto tem um efeito preventivo sobre as mazelas da dita.
Quanto ao livro, não o conheço, mas fiquei curiosa! Pois se tu o recomendas…
Beijinhos… e já agora…bom apetite!

Helena Guerreiro