01 setembro 2006

SE O RIDÍCULO MATASSE…

De quando em vez, um qualquer manga-de-alpaca de uma qualquer instituição governamental, manda uma imbecilidade cá para fora para nos lembrar que o governo existe e está vigilante.
A imprensa noticia hoje que, no Programa Nacional de Alterações Climáticas (PNAC), está inscrita uma proposta que prevê que a velocidade máxima nas auto-estradas baixe de 120 para 118 km/h. Isso mesmo, leu bem, 118 km/h.
Será que o iluminado estaria a pensar noutras coisas? É que até 118 km/h é Tempestade Tropical mas a partir de 119 km/h é Furacão.

4 comentários:

Raposa Velha disse...

Parece que foi um caso de mau jornalismo, pois o objectivo aparenta ser a redução da velocidade média em 2km/h. Não deixa de ser uma medida demagógica, no entanto.

Meio a brincar e meio a sério: 118, nº nacional da diarreia mental :D

Xico Rocha disse...

A demagogia é uma arma antiga mas que os que governam insistem am aplicar no cotidiano dos cidadãos.
Um abraço
Xico Rocha

Cazento disse...

Se houvesse um concurso para os maiores disparates políticos do mundo, estas medidas eram fortemente candidatas ao primeiro lugar. Enfim.

Vim dar uma vista de olhos no seu blog e gostei muito do que até agora li.

Voltarei!

Cumprimentos,

Cazento.

Tozé Franco disse...

Com o dinheiro que arrecadam das multas por excesso de velocidade bem que podem pagar o excesso de dióxido de carbono.
Brincadeiras à parte: ai se o ridículo matasse!