04 julho 2006

100 DIAS

"- Estás a ver - disse-lhe -, nem sempre os grandes poetas são diarreicos, às vezes são obstipados..."
Umberto Eco, Baudolino
Se me não falha a aritmética faz hoje 100 dias que passei a fronteira. Quando um executivo assume funções governativas, é costume, passados que são os cem primeiros dias de governo, fazer um balanço do trabalho realizado. As mais das vezes apenas para nos atormentar a consciência, diga-se, com todas aquelas encenações balofas, tentando – e por vezes conseguindo – convencer-nos do contrário daquilo que fizeram. Para não ficar atrás, registo também esse marco, embora sem a intenção de fazer um balanço. Apenas registar duas notas:
- Primeira: ao contrário do poeta não tenho ainda qualquer razão para imprecar contra este lado da fronteira: ainda nenhum toco de carrasco se me atravessou na frente, pelo que, a menos que me magoe, continuarei;
- Segunda: parafraseando uma modesta cibernauta que encontrei na rede, por intermédio dos dois ou três meus eventuais leitores, visitei uma quantidade enorme de blogs. Não pude deixar de pensar em Baudolino quando dizia ao seu amigo poeta: "- Estás a ver […], nem sempre os grandes poetas são diarreicos, às vezes são obstipados...". Alguns, eram do género diarreico, tal a quantidade de post’s de que faziam alarde. Outros, pelo contrário, eram do género obstipado. Sabe Deus as dificuldades por que terão passado para obrar cada novo post. O meu, reconheço, é mais do género obstipado. Por vezes por falta de tempo; por vezes por falta de motivação; por vezes por falta de veia; por vezes por falta de coragem; por vezes porque, simplesmente, no pasa nada.

1 comentário:

citadinokane disse...

Carlos,
És modesto.
Parabéns, sabemos o quanto é difícil escrever, posto que somos mortais, isto é, não somos bafejados pelos deuses e escrever é realmente um parto...
Voltarei para comemorar 200, 300, 1000...
Um abraço irmão, em termos futebolísticos - tua dor, foi nossa... Avante Portugal, pra frente Brasil!!!!
pedro