23 agosto 2006

CAMINHADA EM PAISAGEM PROTEGIDA

Ontem, a família arrastou-me para as Lagoas de Bertiandos, ou, para utilizar o seu nome na forma mais pomposa: Paisagem Protegida das Lagoas de Bertiandos e S. Pedro de Arcos. A zona fica na margem direita do rio Lima, já muito próximo da Vila de Ponte de Lima.
Lá chegados toca a escolher o percurso. Como ninguém quisesse dar sinal de fraco, escolhemos o percurso IV, uma jornada com uns extensos 7,5 km.
Como na recepção nos dissessem que os percursos estavam devidamente assinalados, prescindimos de um mapa. Fizemos mal. Pouco ainda tínhamos caminhado e o trilho IV chegava abruptamente a uma estrada camarária. Ficamos sem saber por onde seguir – sabê-lo-íamos mais tarde já no carro e de regresso – pelo que tomamos a decisão que se nos afigurou mais sensata nesta situação: voltamos para trás. Recuamos até uma bifurcação e, entre o I, o II e o III lá fomos andando. Sem saber bem qual o percurso que seguíamos em cada momento, lá regressamos ao ponto de partida.
Confesso que não me esforcei grandemente mas também só vi um sardão, uma rã, três borboletas e meia dúzia de gafanhotos. Ah, e também ouvi alguns chilreios, não conseguindo, no entanto, descortinar a origem.
Embora o tempo esteja quente e, consequentemente, a paisagem, embora húmida, se ressinta disso, o passeio é agradável e recomenda-se. Podiam, é certo, mondar alguns eucaliptos e podar os salgueiros que nos obrigam, não raras vezes, a dobrar a espinha nos passadiços de madeira. E já agora, rever a informação sobre os percursos.Já combinamos voltar às Lagoas mas só depois das primeiras chuvas, já bem entrados no Outono. Nessa altura prometo estar mais atento à natureza e tentar descortinar, mesmo que fugidiamente, qualquer um dos exemplares que na recepção nos dizem passear por aquelas bandas.

4 comentários:

Tozé Franco disse...

Ora cá estamos em Ponte de Lima.
O roteiro não incluia Rojões ou Arroz de Sarrabulho, pois não? É uma pena.
Agora fora de brincadeiras não conheço as lagoas, mas atendendo à envolvente deve valer a pena.
Um abraço.

Carlos Ponte disse...

Depois de um sarrabulho até fazia o percurso V, o tal de 12,5 km! Talvez que ainda visse menos animaizinhos do que os que vi ontem, mas que o percorria, percorria!
Vendo bem, depois do almoço não sei se ficaria tempo para tanta caminhada.
Um abraço,
Carlos Ponte

Anónimo disse...

Então a família arrastou-te do sofá?!!!... Tarefa árdua, talvez, mas fez bem…
As Lagoas de Bertiandos são um património ambiental que adquiriu, desde Dezembro de 2005, o estatuto de Sítio Ramsar (só existem 17, em Portugal!), graças ao excelente trabalho da Câmara de Ponte de Lima. O nosso poder local devia seguir este exemplo, ao invés de descurar ambientes idênticos existentes no concelho.
Mas concordo contigo, os eucaliptos são demasiado “exóticos”e alteram a composição específica do lugar.
Continuação de boas férias em convívio com a mãe-natureza…

Helena Guerreiro

Carlos Ponte disse...

Olá Helena,
Obrigado pela visita. Para mim é sempre um prazer imenso ler os teus comentários.
Sobre as lagoas: sabes, se eu conseguisse vêr a “paisagem” com os teus “olhos”, naturalmente tudo seria mais entusiasmante mas, onde eu vejo erva, erva, erva e erva, tu vês Oxalis corniculata L., Festuca ampla Hackel, Galium verum L. e Geranium purpureum Vill; onde eu vejo pardal, pardal, pardal e pardal, tu vês Troglodytes troglodytes, Saxiola torquata, Serinus serinus e Parus caeruleus. Como vês as nossas “armas” são desiguais.
Estava a brincar, embora ache que o Lineu complicou isto um bocadinho, sou, como sabes, um amante da natureza e gostei muito da caminhada.
Ah, e obrigado pelas tuas informações. Estás a ver? Contigo estamos sempre a aprender!
Continuação de boas férias também para ti.
Um beijo,
Carlos Ponte