17 maio 2006

DIAS DE BRASA

No último número da notícias magazine, Julie Daurel, leva-nos à descoberta do litoral baiano, numa reportagem a que dá o sugestivo nome de "Bahia de todos os sonhos...". O texto é complementado por belas fotos de Nicolas Millet. A viagem começa em Salvador, ou Bahia como os baianos gostam de lhe chamar. A cidade, hoje património da humanidade, a Lisboa dos trópicos, tem a sua origem na colónia fundada por um jovem náufrago Português que aqui aportou no início do século XVI, conseguindo, sabe-se lá por que artes, não ser comido pelos Tupinambás. Até ao século XVIII, a Bahia, centro nevrálgico do comércio da cana-de-açúcar, será a capital do Brasil, perdendo esse título quando o ouro e os diamantes de Minas Gerais começaram a fazer valer a sua importância.
A cidade velha tem sido minuciosamente conservada e renovada e "os turistas serpenteiam as suas ruas calcetadas e íngremes entre a igreja azul do Rosário dos Pretos, construída por e para os escravos, e a igreja de São Francisco, onde os senhores rezavam, sob uma cúpula de ouro, prata, azulejos e jacarandá ". A viagem leva-nos depois ao bairro do Rio Vermelho onde viveu Jorge Amado. Passamos pela Ribeira, saboreamos na sua sorveteria, velha de quase um século, um gelado de noz de coco. Passeamos pela Avenida Beiramar, divisamos, lá ao longe, o arquipélago de Tinharé e acabámos por tomar o barco para Cairu. Deu-se ainda um salto a Boipeba, à lagoa do Cassange, às praias de coqueiros de Saquaíra, aos corais de Taipú de Fora e uma visita à mata atlântica de Ilhéus e Itaceré, que a UNESCO classificou como reserva da biosfera. Finalmente, daremos ainda um pulo à igreja colonial das Descobertas e seguiremos até Santa Cruz de Cabrália, Porto Seguro, Arraial d'Ajuda e Trancoso, frente ao mar que há cinco séculos viu chegar Cabral.
Enquanto vou lendo estas notícias do Paraíso, não posso deixar de pensar nas do Inferno que por estes dias nos vão chegando do mesmo sítio. Como é possível coexistirem Paraíso e Inferno no mesmo local?
Enquanto vou lendo estas notícias do Paraíso, não posso deixar de pensar no riso generoso da Ana, uma baiana de gema, que na grande cozinha da Pousada do Boqueirão prepara as iguarias como só ela sabe... Nestes dias de brasa, o riso generosa da Ana, tê-la-á abandonado...
... Espero que apenas por breves momentos.

3 comentários:

citadinokane disse...

Carlos,
Apesar de toda a violência que o crime organizado submeteu o Estado de São Paulo, o Brasil é muito lindo. A Bahia é tudo o que foi descrito em seu post, é maravilhosa... Estive juntamente com a minha família, visitando todos os lugares citados por você em 2005, meu cunhado mora em salvador... Foi uma viagem que deixou muitas saudades...
Um abraço,
Pedro

R2K disse...

: )

Magui disse...

As noticias que te chegam nao sao dai. Sao de Sao Paulo , lugar completamente diferente. Nem da mesma regi�o e. Bahia e nordeste e Sao Paulo e sudeste.
http://somagui.zip.net